Home... Where I wanted to go

Ajuda a concatenar as ideias...























Eu tenho andado numa maré de azar.. ou talvez, a vida ande me cobrando por.. sei lá.. atitudes que eu deveria ter tomado, ou não tomado há tempos atrás... Ando numa colheita improdutiva...

Minha vida me ensinou a ser ser empática e sempre olhar as coisas com pelo menos dois pontos de vista.

Então, suponhamos que essa colheita ruim é na verdade uma forma de adubar o terreno e plantar outras coisas...

Eu ainda não sei bem o que vou plantar, mas não vou mentir que ando tão decepcionada e frustrada que não quero mais sonhar e correr atrás... Quero apenas me conformar e viver segundo os ditames e limites que me são impostos.

Uma conclusão a que cheguei, saindo bastante do assunto inicial, é que pagamos muito (tipo MTO) pelas atitudes de nossos pais, o que reforça o que o H09 sempre diz sobre testes psicotécnicos antes de ter filhos...

Mas digo isso, porque dentro das crenças que acredito, isso é ensinado... as pessoas não podem apontar o dedo, pois no momento em que se aponta um dedo para outrem, tem três apontando para si mesmo.

Mas estou dizendo isso agora, porque com tantas brigas, tenho analisado muito meus pais... e só agora percebi o quanto eles julgam as pessoas, apontam, criticam, são soberbos e só agora detectei alguns desses em mim (já estou trabalhando nisso) e vi que tudo o que eles falavam com tanta arrogância está acontecendo com eles... Com a diferença que graaaaaças ao Universo, eu não dou motivos, por mais que para eles, eu seja um monstro intratável e incontrolável e que eu não tenha dado certo na vida, sendo um fracasso total...


O foda é que eu poderia transcorrer uma crônica sobre o assunto, mas ainda não tenho cacife o suficiente, seriam só minhas opiniões e o que vi da vida...

Andei também perdendo muita gente (graças ao universo² ninguém morreu fisicamente), perdendo muitos pedaços de mim e ainda to limpando os escombros para ver o que exatamente está faltando e como e o quê fazer agora...

Esse vazio, essa falta de algo, essa sensação de desconforto, deslocamento, de não pertenço a esse lugar é algo que fazia tempo que não apertava tanto...

... Só acho que não quero mais saber de onde vim, ou por quê não me encaixo em nada nunca...

Acho que quero mesmo viver sob os ditames dessa sociedade desse mundo doentes e... deixar apagar aquele inconformismo e aquela rebeldia natos. Até aqui, ser quem sou, arcar com as consequências disso etc etc não sido fácil tampouco produtivo, então... Lobotomia e viver comumente deve ser a solução. Não que eu aconselhe isso, mas não tenho mais forças para prosseguir de outro modo.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Pesada Estranheza do Ser

Vontade de escrever. Mas o quê, eu não sei