I wish I were special...







... But I'm a creep.

Everybody Changed. Now I don't know who I Am

Parece que anda rolando uma epidemia de tristeza e melancolia com a galera de 20 e poucos anos.

Pode parecer difícil de entender, mas talvez seja simples explicar...



Viemos de uma época não tão tecnológica, onde tínhamos que fazer trabalho de escola no papel almaço, com capa desenhada na sulfite e pesquisa feita na enciclopédia, muitas vezes na Barsa. Inclusive, tínhamos não só que estudar, mas também, tirar boas notas (sem ameaçar os professores de morte).

Brincávamos na rua, ou na casa dos amiguinhos até os 14, 15 anos: jogando videogame, Uno, tranca, truco, tapão, burro, vendo filmes de terror, falando sobre os menininhos bonitinhos, ouvindo Sandy & Jr...

Não corte os pulsos ainda

Queríamos ganhar o mundo, viajar, conhecer lugares, pessoas, ter um bom trabalho, se formar numa boa universidade, sair da casa dos pais e encher todo mundo de orgulho, "demos certo na vida!".

...

Aí crescemos... Ninguém contou que seria tão árduo, talvez porque ninguém imaginava que a vida pudesse ser tão rigorosa. Descobrimos que o mundo lá fora é completamente diferente do mundo que nossos pais disseram que encontraríamos, descobrimos que não estávamos preparados. Além de frio, sem coração e egoísta, o mundo passou a ser cada vez mais e mais tecnológico e, ou nos adaptávamos ou ajudávamos nossos pais a se adaptarem; alguém seria fatalmente engolido... O mundo começou a trazer novas gerações, absurda/e adaptada aos seus novos costumes.. mas ... e nós? E nós que ficamos no meio do caminho, entre a geração que tirou água do poço, viu o mundo se construir, zela pela moral e pelos bons costumes, a geração dos conservadores, que lutaram por seus direitos, pelos nossos direitos e as gerações que acham que são muito especiais, mimimi, o mundo é encher a cara de cachaça, usar muita maconha e transar como se Woodstock durasse 'forevermente'; Sem estudar, google no computador, no celular, na geladeira, na calcinha... Ninguém se dá mais ao trabalho e pensar... E nós? Como ficamos, produção???

Hello Strange

Aí, alguém teve a brilhante ideia de popularizar a tal universidade... Agora temos uma população formada em 'nível superior' que não sabe a diferença (ou seria diferência) entre mais e mas e se o correto é para mim ter o diploma ou para eu ter o diploma... E nós, mais uma vez, a galera execrável dos 20 e poucos anos, ficamos no meio do caminho... Diploma se tornou uma obrigação.

Tattoo deixou de ser coisa de bandido e se tornou coisa de desocupado, assim como todo e qualquer tipo de contravenção aos costumes de nossos pais, ou chefes, ou tios, ou chatos, ou simples/e "Mais Velhos".

Então, a 'nova geração' veio rebeldemente atacando a tudo e a todos sem nem saber qual o motivo de suas rebeldias e de suas calças, e nós, famigerados 'pós adolescentes', continuamos no meio.

Pois é


Temos sonhos, temos gana de ainda ganhar o mundo, mas agora é tudo mais difícil e estamos sozinhos. Tudo é mais difícil porque a pressão que todos exercem sobre nós é exacerbada... "VOCÊ TEM QUE DAR CERTO" para me provar que fui bom pai, para provar que lutei em vão, para provar que VOCÊ NÃO É SÓ MAIS UM. Se forme, tenha um excelente emprego (para eu esfregar na cara de quem dizia que você não daria boa coisa), case, não tenha filhos no momento errado, não use drogas, não beba álcool, não, não, não. Vá por aqui, siga por ali. EU SEI O QUE É MELHOR PARA VOCÊ.

Obrigada mundo. Conheço um punhados de deslocados de 20 e poucos anos que adorariam acabar com o próprio sofrimento (como eu), mas não o fazem por... por.. por quê mesmo?

Estamos aí, com medo do amanhã, com medo de nunca conseguir sair da casa dos pais, nunca ter um bom emprego, nunca ter o próprio negócio, não ter um bom casamento, não ter, não ser, não poder...

Meu nome é Ana Lígia, tenho 24 anos e meio e também fui infectada pelo vírus da melancolia dos 20 e poucos. Vários tratamentos realizados, nenhuma melhora alcançada.

What hell I'm doing here? I don't belong here.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Pesada Estranheza do Ser

Home... Where I wanted to go